José Roberto Santos, conhecido como Beto Pezão, nasceu em 11 de dezembro de 1952 em Santana do São Francisco (SE), antiga Carrapicho, onde viveu até os 19 anos. O apelido deve-se a uma característica marcante em seu trabalho: suas esculturas possuem os pés grandes. Segundo ele, algumas imagens careciam de estabilidade, por isso alongou os pés para aumentar a sustentação.
Sob a influência do pai, que também era escultor e trabalhava com argila, com seis anos de idade Beto já fazia suas primeiras peças e aos nove já as comercializava na feira. Mas seu estilo só se tornou conhecido a partir de 1972. Inicialmente foi bastante criticado por seu pai que, ao ver pela primeira vez, perguntou-lhe se se tratava de uma doença. Embora tendo ficado bastante desapontado com as críticas, não desanimou e logo percebeu que o seu trabalho tomava um novo rumo.  O seu estilo não demorou muito a ser aceito pelas pessoas e divulgado pela mídia como obra de arte.
Dos suaves movimentos de suas mãos surgem preciosas peças. Modeladas no barro e com traços marcantes retratam a vida do nordestino ou são imagens sacras. São únicas e fazem parte do acervo de colecionadores do mundo inteiro.
© fotos do acervo por Pierre Yves Refalo. Para compra de peças entre em contato direto com os artesãos.