Apiaí, Barra do Chapéu, Bom Sucesso de Itararé e Itaoca são municípios situados no Vale do Ribeira, sudoeste paulista, que se tornaram reconhecidos, especialmente a partir do final da década de 1960, pela cerâmica que produzem, com a técnica do rolete, em barros de tonalidades variadas. A região distingue-se no país como importante polo cerâmico que conservou o saber-fazer de panelas, moringas, potes, com o barro abundante na região, e cujas peças circulam em feiras e exposições que hoje integram coleções de arte popular e de etnografia.

Utensílios de uso cotidiano, alguns deles são adornados com desenhos em tauá (pigmento mineral de coloração avermelhada) e encantaram o artista plástico e folclorista Oswald de Andrade Filho na década de 1950, por ocasião da coleta de material para a grande exposição comemorativa ao IV Centenário da cidade de São Paulo. Utilitários e decorativos, marcados por originalidade e beleza, são objetos impregnados de valor cultural e identidade das mestres da cerâmica do Vale do Ribeira.

Confeccionar essas peças com o barro abundante e variado foi e permanece ainda uma entre as tantas atividades das mulheres daquela região, que cuidam da casa, da família, de seus roçados e da pequena criação de animais. Matéria viva do cotidiano, um saber passado às sucessivas gerações, sobrevive às mudanças sociais e econômicas.

[fonte:http://www.artesol.org.br]

© fotos do acervo por Pierre Yves Refalo. Para compra de peças entre em contato direto com os artesãos.