Em Paraty/RJ aproximadamente 50 famílias tiram seu sustento do artesanato em caxeta, árvore nativa que brota nos alagados e produz uma madeira alva, leve e macia. Os artesãos de Mamanguá se destacam pela produção de miniaturas de CANOAS, TRAINEIRAS, SAVEIROS, ESCUNAS E VELEIROS.

Criam-se ainda remos, gamelas e utensílios domésticos, como colheres, pás e conchas, cujo desenho é tradicional na região.

O Museu de Folclore Edison Carneiro/Funarte e o Programa Artesanato Solidário promovem a ampliação dos canais de venda dos barcos do Mamanguá.

 

_______________________________________________

ARTESOL – Programa Artesanato Solidário

Inicialmente idealizado como projeto de combate à pobreza em regiões castigadas pela seca, o ArteSol/Artesanato Solidário foi concebido em 1998 como um programa social, e a partir de 2002, tornou-se uma Oscip (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público).

Suas ações beneficiam brasileiros situados principalmente nas localidades de baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) e priorizam o saber-fazer artesanal enquanto fruto de passagem de saber entre gerações. A partir disso, o ArteSol elabora projetos e ações voltados para a valorização da atividade artesanal de referência cultural brasileira, a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Intangível, e inclusão cidadã e produtiva dos artesãos.

 

[fonte: http://www.artesol.org.br/site/]

© fotos do acervo por Pierre Yves Refalo. Para compra de peças entre em contato direto com os artesãos.