“Tudo começou com a chegada de D. Francisca à cidade de Parnaíba, com oito filhos pequenos e marido sem emprego. Na rua muitas mulheres trabalhavam com o agave e D. Francisca iniciou o aprendizado, fazendo a trancinha e as filhas fazendo o acabamento das peças, cortando pontas de agave. D. Francisca logo aprendeu o trabalho com o agave e ensinou às filhas. Em seguida, passou a trabalhar para a cooperativa de D. Almira Silva. Hoje aprende com as filhas as novas modelagens e acompanha o trabalho do grupo, agora sob a coordenação de sua filha Edna, que criou a associação Marias da Agaves.

Maria Edna, filha de D. Francisca, lembra que o trabalho começou há 15 anos e que veio a necessidade de montarem o próprio grupo. Edna tomou a frente e fundou o grupo Marias da Agaves e logo saíram em busca de informações e parcerias com o SEBRAE. Nesta parceria o SEBRAE divulga o trabalho nas feiras e sempre que precisam de cursos como: formação de preços, novos designers, o SEBRAE traz.

Edna é quem faz os contatos e a comercialização dos produtos nas feiras. Segundo Edna, cerca de um a dois meses após as feiras é que surgem as encomendas dos contatos das feiras, que passam a clientes permanentes. São Paulo, Recife e Minas Gerais já fazem parte do leque de clientes da associação.”

[Fonte: http://www.proparnaiba.com/emfoco/marias-da-agaves-do-bairro-santa-luzia.html]

© fotos do acervo por Pierre Yves Refalo. Para compra de peças entre em contato direto com os artesãos.